Todos perdemos com a partida de Alceo Magnanini

Morre o agrônomo e professor, ambientalista Alceo Magnanini, de 96 anos, na última segunda-feira (11), no Rio de Janeiro.

Com mais de 75 anos de serviços públicos prestados em prol do meio ambiente brasileiro, o ativista ambiental era o último organizador, ainda vivo, do Código Florestal Brasileiro de 1965, exercendo até então o cargo de assessor técnico do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

O sepultamento aconteceu na terça-feira (12) em Brejal, área rural da cidade de Petrópolis, cercado por uma rica biodiversidade, em homenagem ao seu papel incansável na proteção dos patrimônios naturais fluminenses.

Em 1979, trabalhava no Departamento de Conservação Ambiental, na Floresta da Tijuca.
Foi um dos fundadores do extinto IBDF como engenheiro agrônomo de formação. Na Feema foi chefe da Divisão de Ecologia Aplicada. No Inea estava lotado na Dibape. Não era Biólogo, mas trabalhou muito pela proteção ambiental em todas instituições que abraçou.

Para Alceo Magnanini os aplausos do Conselho Regional de Biologia do RJ/ES por uma vida carregada de propósito.

[Postado em 14/7/2022 | 5591 visualizações]


Termo de Aceite e Consentimento
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar nesse site, você concorda com o monitoramento e nossa política de privacidade. Atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nossa Política de Privacidade.